• Por José Eduardo Rendeiro

  • Compartilhe

  • 19/07/2016

  • 568 Visualizações

Estudos de casos BIM

Casos BIM 14: Ponte de Sellwood no Oregon por Sundt Construction

structutre

Soluções BIM da Autodesk ajudar a provar a viabilidade do método de proposta de reconstrução  de uma ponte em Portland , Oregon.

revit-estudos-14-01
 “O uso de software Autodesk BIM e construção virtual em 3D ajudou a convencer o proprietário de viabilidade do projeto.” – Eric Cylwik , Engenheiro de Modelagem , Sundt Construction, Inc.

revit-estudos-14-02

Renderização de nova Ponte Sellwood em Portland , Oregon.

.

Resumo do Projeto
Sundt Construction estava na vanguarda da utilização de Building Information Modeling (BIM) para a construção vertical e agora está usando soluções BIM da Autodesk® para o projeto virtual e construção de seus projetos de infraestrutura horizontal, como estradas e pontes. A empresa usou o software BIM para reconstruir uma ponte antiga em Portland, Oregon.

Quando a Ponte Sellwood foi inaugurada em 1925, foi uma atualização bem-vinda do serviço de balsas que vinham transportando passageiros em todo rio Willamette em Portland. Mas a ponte de duas pistas estreitas caiu em desuso e sua clarificação federal de suficiência técnica caiu para 20 em uma escala de 100. Ônibus e caminhões foram impedidos de utilizar a ponte e os 87 anos de idade estrutura foi projetada sem considerações sísmicas. O Condado de Multnomah quis substituir a ponte velha por uma nova ponte com três arcos de aço com faixa de pedestres e ciclovia. Sundt e sua parceira Slayden Construction foram os gerentes de construção/empreiteira deste projeto.

revit-estudos-14-03


O Desafio

“O plano original era construir a nova ponte em estágios para acomodar o tráfego durante a construção”, explica Eric Cylwik, engenheiro de modelagem da Slayden/Sundt. “Metade de toda a extensão da ponte seria construída e o tráfego seria desviado para essa nova seção, a ponte existente iria ser demolida e a outra metade da ponte construída em seu lugar . “

Durante a fase de proposta, a joint venture Slayden/Sundt sugeriu um método mais rápido, mais seguro e menos dispendioso para reconstruir a ponte. Eles recomendaram a construção de uma ponte de desvio através da instalação de piers temporários e a aproximação se estenderia ao lado da ponte existente deslizando a  treliça de aço da plataforma da ponte original para essas estruturas temporárias. A ponte desvio eliminaria o custo do aço para dois reforços extras correndo pelo meio da ponte, características estruturais redundantes necessárias se cada metade da ponte foi independente durante a construção. Ela também iria liberar o alinhamento existente para uma construção mais eficiente e melhoria imediatamente a segurança, transferindo a carga dos pilares de concreto rachados que sustentam a ponte existente.

“As condições do local ao redor da ponte são extremamente apertadas”, diz Cylwik. “De fato, algumas construções adjacentes estão literalmente construídas em torno das colunas de fundação da ponte velha. Para ganhar este contrato, precisamos demonstrar claramente a viabilidade de construção desta ponte desvio.”

Revit Estructure
revit-estudos-14-05

A Solução
Para o planejamento e visualização precisa da pré-construção, Slayden/Sundt utilizou soluções BIM da Autodesk para criar modelos 3D da ponte existente e local, a ponte desvio e a nova ponte. “Nós usamos estes modelos virtuais para explorar e avaliar alternativas de construção”, diz Cylwik. Slayden/Sundt começou pela importação de dados da nuvem de pontos de uma varredura a laser das condições existentes para o Autodesk Navisworks® e o AutoCAD® Civil 3D®.” O modelo resultante ajudou-nos a dar a capacidade de fazer medições muito precisas e avaliar as condições exatas do local, ajudando-nos a encontrar a melhor maneira de construir a ponte”, diz Cylwik .

Em seguida, a equipe usou o Autodesk® Revit Structure® para criar um modelo da ponte, com todas as estruturas temporárias, bem como a estrutura propriamente dita, juntando com o modelo de terreno existente para avaliar como ela iria se encaixar. Por exemplo, a equipe queria usar vigas de caixa pré-moldada 4×4 como elementos estruturais temporários em uma seção da ponte desvio que seria muito próximo aos condomínios vizinhos. Com o Revit Structure, a equipe poderia modelar precisamente os componentes estruturais e, em seguida, medir a distância entre a ponte e os condomínios próximos (capturado como uma nuvem de pontos do terreno existente) para ajudar a determinar se havia espaço suficiente. “O BIM nos permitiu tornar-se muito familiarizado com o local, explorar as nossas ideias e validar nossa abordagem antes de apresentá-las ao proprietário “, diz Cylwik .

Para a apresentação da proposta, Slayden/Sundt combinou os modelos do Navisworks e os ligou a um cronograma simplificado de construção para criar simulações animadas da construção. A equipe também usou os modelos em conjunto com software Autodesk® 3ds Max® para criar renderizações quase foto realistas do projeto em construção. “Estas visualizações foram fundamentais para ajudar o proprietário e outros participantes do projeto entender melhor e apreciar a nossa proposta de construção”, diz Cylwik.” Na verdade, eles ficaram tão impressionados com os nossos materiais de apresentação que emitiram um pedido de alteração de pré construção para fazer vídeos adicionais que explicam o projeto para o público. “

revit-estudos-14-06

BIM permitiu à equipe validar visualmente as ideias.

.

O Resultado
Slayden/Sundt superou seus concorrentes e foi premiado com o projeto em agosto de 2011. A construção começou em dezembro de 2011 e Sundt continuou a usar soluções de BIM da Autodesk durante a construção do projeto. A estratégia da ponte desvio permitiu um projeto mais elegante com menos recursos redundantes e menos impactos na água, ajudando a reduzir o custo do projeto, bem como o seu impacto ambiental.

“Esta abordagem inovadora construção vai encurtou o cronograma do projeto em cerca de um ano e reduziu os custos em US$ 5 a US$ 10 milhões”, segundo www.SellwoodBridge.org. “Sem o uso de software Autodesk BIM e construção virtual em 3D, o proprietário pode não ter sido convencido da viabilidade do projeto”, diz Cylwik .

.

Tradução e adaptação: Arq. José Eduardo Rendeiro

Sobre o Autor

  • José Eduardo Rendeiro

    Arquiteto formado pela Universidade Mackenzie com atividades em escritórios de arquitetura e construções, além de projetos próprios. Trabalha com Autocad, Sketchup e Revit e dá suporte e produz conteúdo para Cursos Construir além de traduzir e escrever artigos de Arquitetura e Plataforma BIM para blogs específicos.

Compartilhe este Post:

Pinterest Google+ Facebook Twitter Addthis

Envie seu comentário: