• Por José Eduardo Rendeiro

  • Compartilhe

  • 24/08/2016

  • 496 Visualizações

Plataforma BIM

Estratégias BIM: fabricantes de produtos desempenham um papel na erradicação de resíduos de projeto

Durante Décadas, a Indústria da Construção vem tentando se livrar dos resíduos e da perda de informações durante a Concepção, Construção, Operações e Processos.

A enormidade desse desafio é reconhecida no SmartMarket Report 2012: o valor comercial do BIM na América do Norte, que destacou a utilidade de fabricantes de produtos de construção fornecer conteúdo Building Information Modeling (BIM) para a sequência de entrega do projeto. Como o SmartMarket Report afirma: “Mais fabricantes de produtos de construção que fornecem conteúdo específico como sendo um benefício significativo para o BIM ficaram em quinto lugar no relatório de 2012, . “

Claramente, a mudança é necessária para enfrentar esses desafios e agora está acontecendo com a adoção do BIM e outras metodologias que adotam o Entrega de Projeto Integrado (IPD). Com essas ferramentas, a indústria da construção, finalmente, tem uma maneira de ajudar os projetistas, fabricantes de produtos de construção, empreiteiros e proprietários a trabalhar juntos desde o início de um projeto para construir estruturas com melhor desempenho no tempo e dentro do orçamento e para a troca de informações sobre o projeto diretamente com operações e manutenção. A Entrega de Projeto Integrado torna possível obter menores custos totais ao longo do ciclo de vida de um edifício.

structutre
Dados ricos de componentes de construção desempenham um papel na redução de resíduos do Projeto.
A indústria da construção gasta uma quantidade enorme de dinheiro, bilhões de dólares por ano, na verdade, fazendo produtos que não “cabem” no desenho de um projeto específico. Durante o projeto, as substituições podem ser feitas sem benefício de se saber por que um determinado produto foi embutido no projeto, em primeiro lugar . Ter um modelo de construção específico do produto pode ajudar.Além disso, o espírito colaborativo em ascensão na indústria da construção civil está agora estendendo-se para a gestão do ciclo de vida do produto para fabricantes de produtos de construção, também. Os fabricantes que querem ser considerados como partes interessadas em projetos de edifícios comerciais (e não simplesmente como fornecedores de produtos )e estão começando a adotar sistemas que colhem dados para componentes fabricados .É possível imaginar outros usos para os dados de componentes manufaturados, também. Fabricantes de produtos de construção estão agilizando seus processo para iniciar juntos vendas potenciais em projetos, iniciar ordens de compra, desencadear eventos de fabricação, distribuir conceitos para a cadeia de abastecimento, verificar que os embarques de distribuição estão no tempo e para garantir que os materiais são embalados e distribuídos para equipes de instalação, munidos com as ferramentas e os recursos certos na hora certa.
 
Informações incorporada dos componentes beneficiam os projetistas para justificar seleções do produto.
Embora faz todo o sentido que os proprietários querem reduzir custos e substituindo por uma alternativa de baixo custo nem sempre se traduz em uma verdadeira economia de custos. A equipe do projeto de construção seleciona cuidadosamente produtos de construção com base no desempenho, segurança, ajuste  e objetivos gerais de construção. Quando uma alternativa de baixo custo é sugerida pelo empreiteiro ou proprietário para economizar dinheiro, o arquiteto deve validar e aceitá-la, inclusive assumindo a responsabilidade profissional e os riscos que o produto compromete o projeto. Por exemplo, o produto substituído pode cumprir os critérios de projeto, segurança e desempenho, mas pode não caber fisicamente junto com os outros sistemas ou pode não se encaixar com a cor e tema do projeto. Forçando um ajuste pode-se criar um efeito dominó que exige uma reformulação de outros componentes ou outras substituições, protelando o processo de construção. No final, a redução de custos do material é muitas vezes anulada pelo trabalho extra que tem que ser feito para fazer o ajuste de substituição.Quando informações detalhadas sobre a construção do componente em questão estão inseridas no BIM, o fabricante pode apresentar o valor do produto na hora numa conexão mais ampla com o sistema de construção e comunicar como ele responde aos objetivos da programação do edifício, tais como sustentabilidade, uso de energia, estética e desempenho. Tendo esta informação intrinsecamente ligada ao projeto de construção dá ao proprietário uma maior compreensão de por que um produto foi escolhido, mas também dá ao arquiteto o poder de dizer “sim” ou “não” a uma substituição com um maior nível de autoridade, reduzindo assim o desperdício e eliminando os problemas de substituição. Além disso, a incorporação de informações de componentes tem o potencial para mover a indústria para a prática da engenharia de valor .Tendo componentes de produtos de construção destinados para o BIM beneficia toda a equipe, assim como o fabricante.
.
A partilha de informação comum e consistente através dos Specifiers’ Properties Information Exchange (SPie) e Construction Operations Building Information Exchange (COBie) durante o início do projeto vai eliminar a perda de informações e resíduos, mantendo a equipe e os fabricantes conscientes das decisões e mantendo o BIM integrado com dados do produto para permitir uma melhor tomada de decisão .Embora a incorporação de dados em componentes BIM não seja novo, este tema pode ser expandido para chegar a outras partes interessadas no processo de tomada de decisão. Nesse ponto, estendendo-se esses dados na cadeia de abastecimento é revolucionário. Como projetistas de autoria BIM, eles vão usar e inserir bibliotecas de componentes. Esses componentes fornecem informações detalhadas sobre produtos selecionados, incluindo o nome, modelo e especificações, bem como performance, instalação, manutenção e fornecimento e informações de substituição, fornecendo a toda a equipe do projeto informações essenciais ao longo do ciclo de vida do projeto.A indústria da construção está realmente mudando, apesar de ser rica em tradição e tipicamente resistentes a fazer as coisas de forma diferente. Arquitetos, empreiteiros e proprietários estão adotando BIM e começando a abraçar Entrega Projeto Integrado (IPD ), que por sua vez, desafia a indústria – incluindo os fabricantes de produtos de construção a considerar maneiras novas e mais produtivas de assumir uma abordagem holística para projetar, otimizar o processos de manufatura de suprimentos, ligação entre construção e instalação para reduzir o desperdício e, por fim, facilitar as operações e estratégias de manutenção de edifícios de alto desempenho.
.

 
Fonte:
 
Tradução e adaptação: Arq. José Eduardo Rendeiro
Revit Estructure

Sobre o Autor

  • José Eduardo Rendeiro

    Arquiteto formado pela Universidade Mackenzie com atividades em escritórios de arquitetura e construções, além de projetos próprios. Trabalha com Autocad, Sketchup e Revit e dá suporte e produz conteúdo para Cursos Construir além de traduzir e escrever artigos de Arquitetura e Plataforma BIM para blogs específicos.

Compartilhe este Post:

Pinterest Google+ Facebook Twitter Addthis

Envie seu comentário: